Consumo Carros, Consumo Motos, Consumo Combustível

Por falta de peças as montadoras estão priorizando carros caros

0

Diante da escassez global de peças e componentes, as montadoras decidiram usar os poucos materiais disponíveis para produzir carros mais caros, o que derrubou a pirâmide do mercado brasileiro de automóveis novos.

Os carros populares costumavam ser a base para os melhores anos de vendas de carros e agora eles têm uma pequena parcela da produção da indústria. O protagonista é o carro mais caro, especialmente o veículo utilitário esportivo (SUV).

Porque seguir o caminho do carro caro

Segundo levantamento da consultoria Jato Dynamics para o Estadão / Broadcast, 68% dos carros vendidos hoje no país têm preço superior a 70 mil reais, sendo que os carros abaixo desse valor respondem pelos 32% restantes.

A situação não foi revertida até três anos atrás. Veículos com preços acima de R$ 70 mil respondem por 40% do mercado.

A mudança no mix da montadora ocorre há quatro anos, em parte devido à introdução de tecnologias exigidas por regulamentação, mais caras. O fabricante também se reposicionou. Em vez de apostar na quantia, eles estão mais dispostos a buscar o reequilíbrio financeiro por meio de produtos voltados ao público que possam proporcionar aos carros mais conforto, espaço, conectividade, segurança e eficiência.

A pandemia introduziu um novo elemento na equação e a falta de peças disponíveis forçou a indústria a ser mais seletiva. De acordo com a pesquisa de Jato, com base nas vendas de janeiro a junho deste ano, os carros com preços abaixo de 50 mil reais (os mais baratos do mercado e limitados aos pequenos) passaram a representar apenas 3% das vendas.

rolls royce sweptail

O segmento de mercado formado por carros que variam de 50.000 reais a 70.000 reais também perdeu participação. É ocupada pela maioria dos modelos básicos de montadoras. Hoje, é responsável por 29% das vendas, ante 36% no ano passado.

É nas duas faixas acima que os modelos produzidos em fábricas há muito tempo descontinuadas desde o início da crise de fornecimento de peças se intensificaram nos últimos meses devido à escassez global de componentes eletrônicos.

A fábrica Onix da GM – geralmente o carro mais popular no Brasil – foi fechada desde março.

É nas duas faixas acima que os modelos produzidos em fábricas há muito tempo descontinuadas desde o início da crise de fornecimento de peças se intensificaram nos últimos meses devido à escassez global de componentes eletrônicos.

A fábrica Onix da GM – geralmente o carro mais popular no Brasil – foi fechada desde março.

11los 10 coches mas caros del mundo 131086603

Neste mês, a produção do Gol e do HB20 nas fábricas da Volkswagen e Hyundai no interior de São Paulo foi suspensa por alguns dias paralelos.

A Fiat, marca líder em vendas do ano, vem tirando férias de 1.000 funcionários em Betim (MG), onde montou modelos como Uno e Argo, além do carro subcompacto Mobi Kwid, que concorre com a Renault, em O carro do Brasil mais uma posição mais barata.

“A falta de semicondutores está afetando o segmento de entrada porque o foco do setor é a lucratividade. Em média, os preços são muito altos”, disse Milad Kalume Neto, diretor de desenvolvimento de negócios da Jato.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia Mais